Pará Trabalho Escravo

PF localiza 20 trabalhadores em condição análoga à escravidão no Marajó

Investigações ocorreram em propriedades rurais de Cachoeira do Arari e Ponta de Pedras. Responsáveis podem ser punidos com até 12 anos de prisão.

06/04/2022 às 10h00
Por: Reinaldo Barros
Compartilhe:
A operação Redentora foi encerrada nesta quarta-feira (6), após identificar pelo menos 20 trabalhadores em condições análogas à escravidão (Polícia Federal / Divulgação via Assessoria de Comunicação)
A operação Redentora foi encerrada nesta quarta-feira (6), após identificar pelo menos 20 trabalhadores em condições análogas à escravidão (Polícia Federal / Divulgação via Assessoria de Comunicação)

Polícia Federal do Pará localizou cerca de 20 trabalhadores em condições análogas à escravidão, no arquipélago do Marajó. As investigações ocorreram em fazendas nos municípios de Cachoeira do Arari e Ponta de Pedras. Intitulada "Redentora", com participação do Ministério Público do Trabalho (MPT), a operação encerrou nesta quarta-feira (6).

As propriedades investigadas e localização dos trabalhadores vítimas de condições degradantes de trabalho, como investiga a PF, estavam em localidades de difícil acesso. Foi necessário o uso de vários veículos para deslocamento até os pontos-alvos da operação que remete à princesa Isabel, que aboliu a escravidão no Brasil em 1888 e é conhecida como "A Redentora".

Pelas investigações da PF, os trabalhadores viviam em alojamentos improvisados e sem quaisquer condições de conforto, higiene e sem nenhum direito trabalhista assegurado. A partir da operação, a Polícia Federal e o MPT esperam individualizar as responsabilidades criminais, que podem ser punidas com até 12 anos de prisão.

Fonte: O Liberal

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
500 caracteres restantes.
Comentar
Mostrar mais comentários